O que não colocar nas marmitas congeladas?

Na busca pela praticidade e economia de tempo na cozinha, as marmitas congeladas têm se tornado uma opção cada vez mais popular. Essa alternativa permite preparar refeições saudáveis com antecedência e armazená-las no freezer para consumo posterior. 

No entanto, é importante estar ciente de que nem todos os alimentos são adequados para serem congelados, pois podem perder textura, sabor e até mesmo nutrientes durante o processo. Neste guia, vamos explorar alguns alimentos para não colocar na marmita congelada, garantindo assim refeições saborosas e seguras.

marmitas congeladas
Saiba quais alimentos não colocar nas marmitas congeladas. | Foto: Acervo pessoal.

Evite congelar saladas cruas

Quando falamos de marmitas congeladas, é preciso ter cuidado especial com ingredientes que não reagem bem ao congelamento. As saladas cruas, apesar de serem uma opção saudável e refrescante, não são adequadas para serem congeladas. Isso se deve a uma série de razões que afetam sua textura, sabor e até mesmo sua segurança alimentar.

Em primeiro lugar, o congelamento pode comprometer a textura das folhas verdes e dos vegetais crus. As células desses alimentos contêm uma quantidade significativa de água, e quando congeladas, essa água se expande e rompe as estruturas celulares. O resultado é uma textura murcha e desagradável ao descongelar.

Além disso, as saladas cruas podem liberar água durante o processo de descongelamento. Isso pode resultar em uma mistura aguada e pouco apetitosa, alterando completamente a experiência gastronômica esperada.

Outra questão importante é a segurança alimentar. Vegetais crus podem conter bactérias e microrganismos que são inativados pelo cozimento, mas não pelo congelamento. Assim, ao descongelar uma salada crua, você pode estar expondo-se a riscos desnecessários à saúde.

Portanto, se você deseja incluir vegetais em suas marmitas congeladas, é melhor cozinhá-los previamente. Isso ajudará a preservar melhor sua textura e sabor, além de garantir a segurança alimentar. Vegetais cozidos, como brócolis, cenoura, ervilha e milho, são excelentes opções para incluir em suas marmitas congeladas, pois mantêm sua qualidade mesmo após o descongelamento e o reaquecimento.

Não coloque ovos em marmitas congeladas

Evitar congelar ovos inteiros, sejam crus ou cozidos, é uma prática importante ao preparar marmitas congeladas. Existem várias razões pelas quais os ovos não são adequados para o congelamento, e é essencial entender esses motivos para garantir a segurança e a qualidade dos alimentos.

  • Risco de contaminação bacteriana: Quando os ovos são congelados em suas cascas, a água dentro deles se expande durante o congelamento, o que pode fazer com que as cascas se quebrem. Essa ruptura na casca cria uma porta de entrada para bactérias e microrganismos externos, aumentando o risco de contaminação bacteriana. Essas bactérias podem se multiplicar durante o descongelamento, tornando os ovos inadequados para consumo.
  • Alteração na textura: O congelamento e o descongelamento podem alterar a textura dos ovos. Os ovos congelados podem desenvolver uma textura borrachuda ao descongelar, tornando-os menos agradáveis ao paladar. Isso pode afetar a experiência gastronômica e a qualidade geral da refeição.
  • Perda de qualidade nutricional: O congelamento pode afetar a qualidade nutricional dos ovos. Embora os ovos congelados ainda fornecem nutrientes essenciais, como proteínas e vitaminas, o processo de congelamento pode causar pequenas alterações em sua composição nutricional. Isso pode resultar em uma perda de nutrientes ou em uma diminuição da biodisponibilidade de certos nutrientes após o descongelamento.
  • Problemas de consistência: Além da textura borrachuda, os ovos congelados também podem apresentar problemas de consistência após o descongelamento. Por exemplo, a clara e a gema podem separar-se durante o congelamento e o descongelamento, resultando em uma mistura desagradável e pouco homogênea.

Evite congelar alimentos ricos em amido

Evitar congelar alimentos ricos em amido, como batatas, arroz e macarrão, é uma prática importante ao preparar marmitas congeladas. Existem várias razões pelas quais esses alimentos não são ideais para o congelamento, e compreender esses motivos é essencial para garantir a qualidade das refeições congeladas.

  • Alteração na textura: Os alimentos ricos em amido têm uma estrutura celular única que pode ser afetada pelo congelamento. Quando congelados e posteriormente descongelados, esses alimentos tendem a perder sua textura firme e podem se tornar excessivamente moles ou farinhentos. Por exemplo, as batatas congeladas têm uma tendência a ficar granulosas e desintegradas após o descongelamento, enquanto o arroz e o macarrão podem se tornar pegajosos e perder sua consistência original.
  • Separação de líquidos: Durante o congelamento, os alimentos ricos em amido podem liberar líquidos, especialmente quando são cozidos em excesso. Esses líquidos podem se separar dos alimentos durante o processo de descongelamento, resultando em uma textura úmida e desagradável. Isso pode afetar negativamente a qualidade e o sabor das refeições congeladas.
  • Deterioração da qualidade nutricional: O congelamento pode afetar a qualidade nutricional dos alimentos ricos em amido. Embora esses alimentos ainda forneçam carboidratos, vitaminas e minerais essenciais, o processo de congelamento pode levar à perda de alguns nutrientes, especialmente se os alimentos forem cozidos antes de congelar. Além disso, o tempo prolongado no freezer pode reduzir a biodisponibilidade de certos nutrientes, tornando-os menos nutritivos após o descongelamento.
  • Problemas de sabor: Alimentos ricos em amido também podem perder sabor durante o congelamento e o descongelamento. O processo de congelamento pode alterar a estrutura molecular dos alimentos, afetando sua capacidade de reter aromas e sabores. Isso pode resultar em refeições congeladas que são menos saborosas e satisfatórias do que suas contrapartes frescas.

Para evitar esses problemas, é recomendável preparar alimentos ricos em amido apenas até o ponto de cozimento al dente antes de congelar. Isso significa cozinhá-los apenas o suficiente para que fiquem macios, mas ainda mantenham alguma firmeza. 

Além disso, é importante resfriar os alimentos completamente antes de colocá-los no freezer, pois isso pode ajudar a reduzir a quantidade de líquidos liberados durante o congelamento. Seguindo essas diretrizes, você pode garantir que suas marmitas congeladas mantenham sua qualidade e sabor, proporcionando refeições deliciosas e nutritivas sempre que precisar.

Cremes, maioneses e pastas também não são uma boa opção

Cremes, maioneses e pastas são ingredientes comuns em muitas receitas, adicionando sabor e textura às refeições. No entanto, esses ingredientes não são ideais para serem congelados, pois podem separar-se e perder sua consistência ao descongelar.

Por exemplo, a maionese pode se tornar aguada e separada, enquanto os cremes e as pastas podem desenvolver uma textura granulosa e pouco apetitosa. Se você deseja adicionar esses ingredientes às suas marmitas congeladas, é melhor fazê-lo apenas no momento de consumir a refeição, em vez de congelá-los junto com os outros ingredientes.

As marmitas congeladas são uma maneira conveniente e econômica de planejar refeições saudáveis com antecedência. No entanto, é importante selecionar cuidadosamente os alimentos que serão incluídos nessas refeições, evitando ingredientes que possam comprometer a qualidade e o sabor do prato final.

Ao evitar congelar saladas cruas, ovos, alimentos ricos em amido, cremes, maioneses e pastas, você pode garantir que suas marmitas congeladas permaneçam frescas, saborosas e seguras para consumo. Com um pouco de planejamento e preparação, você pode desfrutar de refeições deliciosas e nutritivas sempre que desejar, sem comprometer sua saúde ou seu paladar.

Quer aprender mais sobre marmitas congeladas? Então, confira os conteúdos da Camille Ferronato!